O Fundador

liturgia

“Ter o carisma dom de Deus no coração e na vida é desejar ser plenamente dócil à vontade de Deus que grita em nosso coração, que movido pelo Espírito Santo, nos faz fazer loucuras.”

Fundador da Comunidade Católica dom de Deus, Padre Claudio de Almeida Lima ressalta que o Acampamento Juvenil da Nova Evangelização foi um grande motor para sua vocação. Graduado em Filosofia, Teologia e Psicologia, Mestre em Psicologia com ênfase em Psicologia Social e Habilidades Sociais, o fundador da comunidade ainda é pároco na Arquidiocese de Niterói.

Padre Claudio entendeu o seu chamado a cada passo, como um caminho que o Senhor fez com ele, guiando-o pela mão. O menino, filho caçula de pai ateu e mãe espírita, porém muito devota de Nossa Senhora de Fátima, começou a participar de atividades pastorais na pequena paróquia da Ilha da Conceição, em Niterói, aos 15 anos, através do EAC (Encontro de Jovens com Cristo), onde teve uma experiência com Deus. Após o EAC, engajou-se nas obras pastorais, trabalhou na catequese, foi coroinha, participou do ministério de música e quando viu já estava participando da Santa Missa diariamente.

Por esse caminho, muitas pessoas já imaginariam que poderia ser padre, mas ele não. Achava que estava servindo ao Senhor em sua paróquia, que teria a sua família e a vida seguiria seu rumo. Hoje, ele tem uma família bem grande, a Comunidade dom de Deus e as paróquias por onde passa. Entrou para o seminário em 11 de fevereiro, dia de Nossa Senhora de Lourdes.

Os anos foram passando e padre Claudio participou de muitas histórias: fez parte da missão Renova Rio, participou de um programa de rádio, no seu ano de pastoral, trabalhou na Mitra Arquidiocesana de Niterói, foi acompanhador pastoral e começou um trabalho com a Nova Evangelização onde conheceu o Acampamento juvenil.

Ao conhecer o Acampamento Juvenil em Petrópolis, e alguns jovens, ele não hesitou: “precisamos que o mundo conheça esse amor” e trouxe o acampamento para Arquidiocese de Niterói. Dessa obra, o carisma começava a jorrar de seu peito e o Senhor começou a conduzir seus passos para a formação de uma Nova Comunidade Católica, chamada dom Deus. Dar mais um sim a Deus naquele momento, como padre, em seu primeiro ano de sacerdócio, não foi fácil. Mas o Senhor o chamava. “Deus só, depois amor, e sacrifício”, seu coração respondia. E tendo Santa Teresa de Jesus como exemplo, completava: “Muito haverá, Senhor, quem melhor vos sirva mas eu não consentirei quem mais vos ame e mais ardentemente deseje vossa glória”.

X