Ser dom de Deus

Consagrados no Filho

Estamos iniciando um novo ano civil, 365 dias em que poderemos contar com Deus em nossa vida, em nossa história. Como comunidade, estamos no segundo ano de preparação para celebrar os 15 anos de nosso Carisma de nossa Comunidade. No último ano, primeiro de nossa preparação, fomos chamados a passar pelo deserto e nele termos um profundo encontro com Deus Pai, que nos fez, que nos criou, que nos amou.

Neste ano, somos chamados a caminhar com o Filho e a nos consagrarmos a Ele por inteiro. O Filho é o dom precioso do Pai a todos aqueles que o acolhe com generosidade e confiança. Esse dom dado e recebido torna possível a ação maravilhosa do Pai. Uma vez acolhendo o Filho como benção em nossas vidas, somos configurados a Ele e chamados a agir e viver por meio d’Ele, é preciso ter os mesmo sentimentos do Filho, os mesmos desejos do Filho, as mesmas decisões do Filho.

Os sentimentos são essenciais na construção e Formação da pessoa humana, são eles os responsáveis por grande parte de nossas boas motivações e realizações. Os sentimentos, quando ordenados para o bem e maduros, são capazes de nos realizar plenamente. Sem sentimentos, somos companheiros máquinas a executar tarefas, o Filho ao se dispor em realizar as obras do Pai, as realiza repleto de sentimentos. Termos os desejos do Filho significa para nós a compreensão de nossa missão particular e universal. Particular porque somos únicos com nossos dons, com nossas qualidades e também com nossos defeitos. Universal porque pertencemos a família Deus e ainda a família dom de Deus por força do Carisma. Os desejos nos dão o impulso que nos confirma na vontade d’Aquele que nos criou, são eles que nos dão a medida de nossa capacidade de ser o que precisamos ser. Sem desejos como saberíamos o que nos é possível realizar? Sem os desejos como poderíamos nos interrogar? São eles que nos permite avançar na vontade de Deus. Os desejos do Filho não eram outros senão fazer a vontade do Pai. Se nossos sentimentos e nossos desejos/vontade se assemelharem aos do Filho, então poderemos tomar as melhores e mais certas decisões de nossas vidas. Consagrar este ano ao Filho, significa para nós, para cada um de nós, uma tomada de decisão na decisão do Filho, após o Batismo em realizar plenamente a sua missão.

Hoje, dia do Batismo do Senhor, o que vemos é senão a decisão do Pai em confirmar por meio do Espírito Santo a missão do Filho. Deus Pai também quer confirmar a nossa missão dom de Deus, missão que se configura por completo na missão do Filho. Por isso, nossa decisão é a resposta que o Pai precisa para nos confirmar em nosso Carisma. Uma determinada determinação em nos manter fiéis a decisão de abraçar o mundo!

Pe. Cláudio Lima – Fundador da Comunidade Católica dom de Deus

X