Abraçar o Mundo: Outubro, Mês das Missões.

A missão no coração da fé cristã. Com este tema, o Papa Francisco escreveu a mensagem para o dia mundial das missões, que ocorre sempre no penúltimo domingo do mês de outubro (este ano, dia 22), conforme instituído pelo papa Pio XI em 1926. Em sua mensagem o Papa Francisco nos convida a refletir sobre o fundamento, o coração e as atitudes vitais da missão.

O objetivo em dedicar um mês às missões, é estimular ainda mais a missão evangelizadora que Cristo confiou à Igreja, sensibilizar e despertar vocações missionárias e realizar em todo mundo uma coleta em prol das iniciativas de animação e cooperação missionárias promovidas pelas Pontifícias Obras Missionárias. Dessa forma, estimula-se ainda mais a missão evangelizadora que Cristo confiou à Igreja, mandando que seus discípulos fossem por todo mundo, pregando o Evangelho a toda criatura.

Diante deste mandato não podemos nos acomodar. Precisamos ter coragem de alcançar a todos, pois milhares de irmãos nossos ainda ignoram o amor de Deus, e é notável que o mundo tem uma necessidade essencial do Evangelho de Jesus Cristo. Evangelho este que ajuda a superar os fechamentos, os conflitos e as diferenças, confrontando o egoísmo e o individualismo tão presentes no mundo de hoje, e promovendo por todo o lado a reconciliação, a fraternidade e a partilha. Instaurando uma comunhão sob os aspectos humano, espiritual e material, sendo “um só coração e uma só alma”.

O chamado à missão deriva da vocação à santidade. Todo fiel é chamado à santidade e à missão e, assim, o missionário deve encontrar resposta aos problemas, na luz da palavra de Deus e na oração pessoal e comunitária, na certeza que o Espírito sempre oferece ao homem luz e forças que lhe permitem corresponder à sua vocação. A característica de qualquer vida missionária autêntica é a alegria interior, que vem da fé. Num mundo angustiado e oprimido por tantos problemas, e que tende ao pessimismo, o proclamador da “Boa-Nova” deve ser um homem que encontrou, em Cristo, a verdadeira esperança.

Sendo assim, a Igreja é, por sua natureza, missionária e essa missão está fundamentada sobre o poder transformador do Evangelho. Se assim não for, deixa de ser a Igreja de Cristo, e se torna apenas uma associação entre muitas outras.

Que possamos nesse mês em especial, responder às graves e vastas necessidades da evangelização com a nossa oração, com o testemunho da vida e com a comunhão dos bens. Tendo sempre a Virgem Maria como modelo e intercessora, nos ajudando a dizer o nosso “sim” e nos ensinando a irradiar entusiasmo e coragem, numa generosa dedicação a Deus e ao próximo.

Ligia Vaz – Noviça da Comunidade Católica dom de Deus

X