Jovem, não tenhas medo!

“Quem quiser, pois, salvar a sua vida perdê-la-á; mas quem  perder a sua vida por minha causa e pelo Evangelho salva-la-á!” (Mc 8,  35) . Cristo desafia seus discípulos com esta simples e profunda frase. Frase hoje que  define um dos sentimentos mais atuais entre nós, jovens: o medo.

Escuro, altura, solidão, o novo. Medos cotidianos, mas que tem algo em comum: a falta de segurança. Em que ou quem confiar, quando se anda no escuro ou quando algo novo está por vir?  O próprio Jesus vem ao mundo para ser a nossa fonte de segurança. Porém é necessário que haja uma abertura da nossa vida para que possamos reconhecer esta verdade.

Quando nos dispomos a abrir a nossa vida, muitas realidades começam a vir à tona. Traumas que nunca tinham sido mexidos, ou deixados em uma gaveta esquecida da nossa alma. E aí se forma o maior medo do ser humano: o autoconhecimento. Gera dor, sofrimento, mas também gera alegria e paz. Somente quando nos conhecemos é que podemos adentrar no mistério do amor salvífico de Cristo por nós, e assim, abraçar  toda a Sua vontade.

A Samaritana, ao encontrar-se com Jesus no poço de Jacó, teve medo do que estava por vir.  Foi necessário se desprender de suas seguranças e fazer memória de tudo aquilo que era dor para ela, para, enfim, compreender que só Jesus  bastava para saciar toda a sede que ela tinha. Façamos memória do caminho que trilhamos até hoje, e percebamos que em vários momentos Deus esteve conosco e nos conduziu.

Jovem, está na hora de sairmos de nossos comodismos e deixar que Deus seja a nossa segurança. Não deixe que os seus medos te paralisem, use-os para serem impulsionados a perderem a vida por Jesus. Perder a vida por Ele em suas vocações, em suas famílias, em suas paróquias e com seus grupos de amigos. Vale a pena!  Ou melhor, vale a vida!

Iuri Lourenço – Discípulo da Comunidade Católica dom de Deus

X