Espiritualidade Cristã: MÃE DA ESPERANÇA

Filtrar nosso coração é um movimento que temos que fazer diariamente e que deve fazer parte da nossa consciência de Fé. Usar o coração para analisar as situações que a vida nos oferece, nos faz lutar contra os pecados da carne, despertando, dessa forma, cada vez mais nossa Fé. “Usar o coração como filtro é também viver pelo Espírito Santo”
Pela Fé, Maria concebeu Jesus antes em seu coração do que em seu seio; e também que “de nada lhe valeria a Maria sua dignidade materna se não tivesse levado Cristo em seu coração antes que em sua carne”. Deste modo podemos contemplar em Maria um coração materno. O coração de Maria mostra-se assim como um coração grande e cheio de nomes, especialmente dos nomes dos últimos, dos mais pequeninos. Ela é modelo da verdadeira discípula que escuta a Palavra, conserva no coração e dá fruto com perseverança (Lc8,11-15). É, enfim, a mulher que vive sem reservas o dom do amor, “O coração de Maria é seu amor; seu coração é o centro do seu amor a Deus e aos homens” (Claret). Santa Teresa de Jesus tinha grande devoção a S. José, mas a sua devoção a Nossa
Senhora não era menor. Teresa só se converteu e se tornou a Santa que se tornou, por causa do auxílio de Nossa Senhora, suplicando-a que fosse sua mãe.
Maria sabe dos afetos e dos sentimentos do nosso coração.
Maria, que no mistério da Encarnação foi para nós mestra da Fé, no Mistério Pascal é mestra da Esperança, Esposa do Espírito Santo e templo da Santíssima Trindade. Quer dizer também que esse Santíssimo coração é a fonte de todas as graças que acompanham essas qualidades e  quer dizer ainda que esse mesmo coração é a fonte de todas as virtudes que praticou, porque foi através da humildade, da pureza, do amor e da caridade do coração que Ela se tornou digna de ser a mãe de Deus.

“No coração da Igreja, minha mãe, eu serei o amor e assim serei tudo”.
A vocação de Maria: “Ser na Igreja, o coração que ama o coração que ninguém vê, mas que move tudo”, Maria no Pentecostes é o modelo da alma orante. “A essência da oração é o desejo de Deus que brota da Fé, da Esperança e da Caridade”. O teu desejo é a tua oração: se o desejo for contínuo, a oração vai ser contínua. Se não quiseres interromper a oração, nunca pare de desejar. Maria conheceu a oração contínua, porque era o seu desejo de Deus.”
“Abraão acreditou esperando contra toda esperança( Rm4,18 ). O mesmo deve-se dizer com maior razão de Maria junto a cruz: Ela acreditou esperando contra toda esperança, esperando unicamente por causa da Palavra de Esperança pronunciada por Deus”.
Deus te concedeu uma graça bem maior do que a pedida: a graça de esperar Nele, dirijamos nosso olhar àquela que soube permanecer junto à cruz, esperando contra toda a esperança. Invoque-a sempre “MÃE DA ESPERANÇA”.

Ana Maria – Consagrada Comunidade Católica dom de Deus

Referências:

1- (R. Rodrigues- dicionário bíblico)
2- (Sto Agostinho- Claretianos)
3- (Sta Terezinha-Pe.R.Cantalamessa-Maria um espelho p/ a Igreja)
4- Pe. R.Cantalamessa- Maria um espelho p/ a Igreja)
5-( Sto. Agostinho- Pe. R. Cantalamessa- Maria um espelho p/ a Igreja)
6- ( Pe. R. Cantalamessa – Maria um espelho p/ a Igreja)⁠⁠⁠⁠

 

X