O AMOR EXPLICA TUDO

Através deste trecho de um poema escrito em sua juventude, São João Paulo II sintetiza o que o amor foi durante toda a sua vida, conduzindo-o e sendo a origem e o fim de todas as coisas.

O amor não é apenas sentimento, mas constitui a essência do ser humano (amar e ser amado) e esta força pode ser treinada, nos levando a ver o mundo sob outro ponto de vista e a viver a entrega pelo outro. Quando ofertamos amor, o próprio Deus transcende em nós, pois, como nos fala São João, Deus é o próprio Amor (1Jo 4, 8), e a Sua maior expressão é o sacrifício de Seu filho na cruz. É, então, a partir do evento máximo de entrega de Deus que se define o amor como caminho do povo cristão.

“Nós cremos no amor de Deus — deste modo pode o cristão exprimir a opção fundamental da sua vida. Ao início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa que dá à vida um novo horizonte e, desta forma, o rumo decisivo.” [1]

Como afirma o Papa Bento Bento XVI, o encontro com a pessoa de Cristo nos faz tomar um rumo decisivo, o de ser cristão. Nossa vivência na fé não é verdadeira se não se fundamentar nesta experiência do encontro. Logo, Deus é o fundamento desta decisão de amar.

A vida do cristão é uma resposta ao amor de Deus, que nos faz ir além, nos faz professar com a vida que somos frutos do Amado, pois a união com Ele nos projeta para o outro (cf 1Jo 4, 11). Deste modo, reconhecendo-nos amados por Deus, somos impelidos a crer no Senhor como o Salvador e a anunciar em quem colocamos a nossa esperança, pois reconhecemos que o amor explica e soluciona todas as coisas. Este amor que é a resposta desde as coisas mais simples do cotidiano até as questões mais fundamentais da nossa essência, dissipando as diferenças e unindo-nos como irmãos.

Que a exemplo de São João Paulo II e de todos os santos possamos aprender a amar o Amor e fazê-Lo conhecido no mundo.

São João Paulo II, patrono do Geração Fiel, rogai por nós!

Giselle Estupinhã – Discípula da Com. Católica dom de Deus.

Referências:

[1] Bento XVI, Encíclica Deus Caritas Est (25 de dezembro de 2005).

X